Show do Iron Maiden no Autódromo de Interlagos

16.3.09
Eu queria saber quem foi o gênio que inventou de fazer o show do Maiden acontecer em Interlagos. O mentor de tal façanha merecia apanhar até perder os sentidos. Aí, a gente faria uma transfusão de sangue rápida, dava uma tratada nos ferimentos, e logo que o puto recobrasse os sentidos... levaria outra surra!

MERECIA!

De boa. Que DESORGANIZAÇÂO foi aquela?
O autódromo, que seja dito, não é um lugar apropriado para eventos musicais: não tem estrutura de platéia que proporcione conforto mínimo, não tem onde instalar-se um palco de modo que haja qualquer sinal de acústica, não tem esquema de segurança que não falhe feio para esse tipo de evento porque o IMPROVISO é a tônica de qualquer evento montado em local inadequado, além de o lugar ser longe pra carvalho e ser MUITO mal servido de transporte público. Desculpe, residentes do bairro em questão, mas é a mais pura verdade. Eu até gostei de lá, mas o autódromo fica muito longe das estruturas de transporte/alimentação/bancárias necessárias para o deslocamento e conforto de mais de 100 mil indivíduos em dois dias.
Além do fato de que, se chover, aquilo vira um pântano movediço. Para bom entendedor meia palavra basta, que tal uma inteira: "Interlagos"?
Agora, quanto à MONDO ENTRETENIMENTO, a grande FDP irresponsável pela desorganização espetacular que se viu ontem, ela merece um processo daqueles bem surra de p** mole na cara.
Vamos aos fatos referentes ao show de ontem.
Os portões, diz a lenda, abririam às 14h. Eis que eu cheguei lá antes das 18h da tarde. Havia apenas uma entrada reservada para o show, sendo que as únicas opções ao público eram pista e pista premium, e a caminhada até o fim da fila para essa entrada estava deste tamanho. É, caros amigos, a fila tinha mais de 3 quilômetros de extensão, e só aumentou desde que eu cheguei em seu fim. Consegue imaginar o tanto de gente?
O vocalista do Iron, Bruce Dickinson, falou em 100.000 pessoas, o maior público da banda em um show único.
Voltando à história da peregrinação, foi mais ou menos uma hora andando até chegar ao fim da fila. Aí, lógico, a fila andou devagar... mais cerca de 1,5 hora até chegar na entrada.
Horário marcado para o início do show: 20h. Horário em que eu consegui entrar no autódromo: 21h20min
O show já estava na terceira música - sim, porque naturalmente a produção atrasou em uma hora o início do show. Ainda bem, senão eu teria perdido os R$140 gastos na compra do ingresso.
Ao chegar lá, num nível de exaustão incrível (ainda mais pensando que no dia seguinte teria lavoro às 8h30min, vulgo "trabalho na segunda-feira"), percebi que eu não conseguiria ver o palco direito, tamanha era a distância a se percorrer para chegar um pouco mais perto... via-se apenas micro-pessoas pulando e correndo no palco. Os telões estavam danificados, diz a lenda, pela chuva que açoitou o bairro naquela tarde. E assim, as imagens produzidas no telão estavam manchadas: o palco estava belamente iluminado, e o que conseguíamos enxergar era uma filmagem em ciano, tal e qual aquelas fotografias que, com o tempo, ficam meio azuladas...
O som, como eu comentei sobre a acústica do autódromo, não estava fazendo minha exaustão ser compensada, além de haver falhas no sistema de som que fizeram as guitarras enfraquecerem e a voz de Bruce Dickinson falhar em alguns momentos.
Broxei.
A empolgação virou humilhação, a festa perdeu o brilho, e a alegria virou indignação, assim como a verde grama daquele lugar virou lama com a chuva vespertina. Quem estava mais perto do palco ficou com o pé afundado na lama - e os que desembolsaram seus pobres R$350 pela pista premium foram os mais prejudicados. (Risos nervosos!)
Perdi uns vinte minutos de show sem que um reles dessa merda de Mondo Entretenimento tivesse a coragem de organizar a fila e a entrada, e por uma questão de direitos de consumidor explicar os fatos aos pagantes: eles sequer tentaram fazer o que foi paga para fazer. Não consegui enxergar a máscara de Bruce Dickinson durante a estupenda "Powerslave", não pude entender alguns efeitos pirotécnicos e detahes que fazem parte da apresentação (como a "visita" de Eddie, o boneco-mascote da banda, durante o show), não foi possível perceber a decoração do palco, identificar alguns dos integrantes da banda durante a apresentação... enfim.
Lógico que com tanta coisa, os caras da banda bem que tentaram apaziguar os ânimos, se desculparam por terem atrasado o início do show, pelos problemas técnicos ocasionados pela "chuva". A todo o momento o Bruce tentava animar a galera elogiando o público, a presença em massa, enfim.
Com tanta raiva no coração, curtir a coisa toda foi o que eu menos consegui. Acho que esses desgraçados que desorganizaram uma festa de tal porte deveriam ser processados, e garanto que verei o que posso fazer nesse sentido. Peço, aos que lerem este blog e conhecem quem esteve nesse show, que divulguem este texto, quem sabe eu consigo mais testemunhas oculares de uma história ridiculamente tosca para, pelo menos, uma retratação.

10 Comentaram. Faltou você?

  1. Amanda Says:

    Tirando a fila que não enfrentei, o restante presenciei.... Cheguei a atolar naquela lama até quase o joelho.... Sem contar na hora da saída o caos que foi... Pensei que morreria sufocada ou pisoteada...

  2. Marcia Says:

    Cheguei tb às 18:00, mas felizmente, para quem colocou o carro dentro do Autódromo, pela bagatela de R$30,00, para deixar o carro no meio do barro,conseguiu entrar sem maiores problemas. Fiquei na pista no meio do lamaçal, e apesar de estar bem mais próxima do palco q vc, não consegui ver nada. Apenas de relance de vez em qdo, eu via parte daquele telão q parecia um jogo de lego cheio de falhas. E na saída...2 horas para conseguir sair do Autódromo, sem contar que tive que andar pra kct até o estacionamento, pois eles não deixaram as pessoas pegarem o acesso por dentro do Autódromo para chegar no estacionamento. Resultado, um tempão de caminhada até o estacionamento,mais lama,e MAIS congestionamento pra sair no estacionamento.

  3. Adélia Says:

    Concordo TOTALMENTE com você!
    Você conseguiu expressar tudo que eu queria.
    Eu estava mais próxima ao palco, mas também não consegui ver o show de modo satisfatório.
    Acho que deveríamos reclamar ao Procon sobre a empresa que realizou o evento. Mesmo que já tenha sido realizado o show, acho que se uma empresa for penalizada, isso pode servir de exemplo.
    Acho uma pouca vergonha fazer shows no Brasil com multidão de pessoas.
    Penso que todos os shows, mesmo os de rock deveriam ser realizados em locais menores, porém serem oferecidos em maior número. Só assim conseguiremos ser respeitados como consumidores e fãs.

  4. Bruno Says:

    Ainda faltou dizer que, se não fosse pelo público calmo, aquilo poderia ter sido um desastre!

    Quase não havia seguranças e pessoas organizando a imensa fila e, lá dentro, qualquer confusão poderia resultar em morte ou pisoteamento, pois não vi NENHUM segurança.

  5. Isso me lembra um certo Rolling Stones em Copacabana...ali só faltou a chuva...
    Parece que o Kiss em 99 (no autodromo) tb teve problemas deste naipe, né...
    Uma mina aqui do trampo foi de Pista Premium e quase literalmente apanhou no lodaçal pra poder ver o show...e detalhe: ela acampou no local de entrada um dia antes...e adorou tudo!!!
    Cada vez que passa shows dessa grandeza - se não for em local profissa - se tornam verdadeiros programas de indio.
    Ou seria a nossa idade um tanto avançada pra esse tipo de aventura?

  6. Não, não acho que a idade tenha relevância em relação à nossa indignação, e também não achei que lembrou os Stones em Copacabana (exceto, em parte, pela caminhada). É uma questão de direitos do consumidor, mesmo. Que bom que não é neura minha a palhaçada que foi aquilo tudo, e eu de fato chafurdarei para saber sobre o que pode ser feito contra a empresinha (ir)responsável!

  7. Oi, sou de belo horizonte e tambem curto muito o iron.

    Estava vendo algumas pessoas reclamarem do local do show daí de SP, aqui em BH nao escolheram o melhor local tambem, pois a acustica do mineirinho e pessima, fora isso, foi tudo otimo..que venha o iron em 2011!!!

    Assisti a este video do show ai de Sao Paulo e o Bruce em um momento ficou meio puto com alguma coisa, alguem sabe dizer o que rolou?

    http://www.youtube.com/watch?v=LC8dgFI89_c

  8. x Says:

    Cara, como esse vídeo foi feito de pertinho! Onde eu estava tinha-se uma distante visão/idéia das movimentações de palco, e eu de fato não vi o Bruce jogando coisas no chão, parece até que ele estava irritado com algo que surgiu no palco, né? Nem imagino o que seja...

  9. Anônimo Says:

    Estava lá também! \o/
    V.

  10. Vapor Says:

    Foi uma tentativa patética de copiar o Monsters Of Rock que rolava (ainda rola?) no circuito de Donington Park.

Bibibi no Bobobó! | Powered by Blogger | Entries (RSS) | Comments (RSS) | Designed by MB Web Design | XML Coded By Cahayabiru.com Distribuído por Templates