Silêncio gritante

20.1.09
Sabe, certas vezes eu estive em aulas do curso de Letras da FFLCH. A sala de aula era pequena para as mais de 100 pessoas dentro dela. E fiquei bastante impressionada com o silêncio daquela, digamos, multidão formada pelos alunos presentes. Durante as vírgulas e demais pontuações da fala do professor, apenas se ouvia o zumbido das lâmpadas de luz fria, manja aquelas lâmpadas brancas compridas? Pois é, em um ambiente como aquele, foi razoavelmente arrepiante ouvir uma aula sobre Homero - e, diga-se de passagem, uma aula estupenda. Sim, digna desse adjetivo, uma aula estupenda. Só assim para que tanta gente, no alto de seus vintepoucos anos, fique quietinha e prestando atenção, com tanta grama e festa lá fora...
Bem, houve outra ocasião escolar em que eu fiquei justamente arrepiada pela capacidade de um professor, sem grande esforço, segurar com rédea forte a atenção de seus alunos. Eram aulas de Ética em comunicação, lá na ECA, e o professor conseguia virtual e seguramente "amarrar" seus alunos em suas cadeiras, ainda que suas aulas competissem com a cervejada do lado de fora da janela da sala de aula. Mesmo que fosse para ensinar a teoria da potência, de Espinosa, baseado na experiência pessoal metáfora sobre ingestão de pamonhas. Esse cara é foda.
Mas, hoje, o assunto global é a posse do Obamis, e eu acompanhei um pequeno trecho pela internet. Acabei lembrando de uma ocasião que me deixou bastante assustada (no bom sentido) e, na época, esperançosa, talvez como o mundo está hoje, com a chegada do novo presidente à Casa Branca. Na época do Fórum Social Mundial de 2003, que ocorreu em Porto Alegre, o presidente Lula tinha acabado de ser empossado por aqui em seu primeiro mandato. E lá, caros, eu vi, de verdade, muitos milhares de pessoas ávidas por estarem presentes no Anfiteatro Pôr-do-Sol, onde o novo presidente discursaria. E durante o discurso eu cheguei a pensar que seria possível ouvir a voz do Lula até sem microfone, tamanho era o silêncio... deu medo.
Eu imagino que hoje, durante o acontecimento em Washington, mais precisamente durante o discurso de Barack, o Obama, o silêncio imperou no mundo inteiro... pelo menos eu, diante da telinha de poucas polegadas do meu computador corporativo, silenciei em reverência à esperança de mudanças em escalas mundiais.
Talvez seja sonhar alto, ou talvez seja mais uma esperança vã, como foi com o Lula. Tomara que não. Vamos combinar que tá todo mundo acreditando na possibilidade de tirar o pé da merda geral com a posse desse cara, mesmo que a um prazo não tão curto quanto o necessário. Então.
De novo, mais um brinde! E aí, vamos comemorar?

1 Responses to Silêncio gritante

  1. Bruno Says:

    Não tenho tanta fé no ser humano para acreditar que o mundo venha a melhorar...

Bibibi no Bobobó! | Powered by Blogger | Entries (RSS) | Comments (RSS) | Designed by MB Web Design | XML Coded By Cahayabiru.com Distribuído por Templates